O mar dela… o amar d’ela.

Epígrafe Julieta: Por que partir tão cedo? inda vem longe o dia... Ouves? é o rouxinol. Não é da cotovia Esta encantada voz. Repara, meu amor: Quem canta é o rouxinol na romãzeira em flor. Toda a noite essa voz, que te feriu o ouvido, Povoa a solidão como um longo gemido. Abracemo-nos! fica! ‘inda vem longe o sol! Não canta a cotovia: é a voz do rouxinol! (Ato III, cena V. SHAKESPEARE, William) Inspirado em Romeu e Julieta, de William Shakespeare. A única coisa que ...

Continue Lendo

Bon Voyage!

Seguir em frente é o que devo fazer. Acabou. Não adiantará de nada postergar a minha felicidade, me prendendo a uma terra sem esperança, correrei como um trem-bala como se fosse a última coisa a fazer antes de sair para a minha viagem sem volta, de cabeça mais do que erguida, convicta de que todos os males ficarão para trás. Família, amigos, cachorro, papagaio... é tanta coisa e nada mais me prende aqui, cortei minhas raízes, soltei minhas amarras. Agora sou livre, corro solta como a ...

Continue Lendo