Aquele sobre viajar no tempo

Esses dias eu fiquei doente, de cama por uma semana, minha cama se transformou em uma espécie de máquina do tempo. Por causa da febre, eu tinha muita dor nos olhos, então, não conseguia ler nem ver TV, também por causa da febre, eu tinha muita dor no corpo, o que me impedia de sair por ai e dificultava o simples fato de querer dormir. Não foi nada grave, mas me ajudou a viajar.

Eu viajei no tempo, voltei ao passado, revivi momentos importantes, dei risada com as aventuras na escola e com o tempo em que jogava futebol. Ouvi conselhos dos meus finados pais e avô, voltei para o auge da minha timidez e todas as desventuras amorosas, sorri com o primeiro amor e me lembrei de tantos outros. Também passei pelo futuro, aquele onde eu tinha tudo que eu precisava, quase tudo que queria e principalmente, tinha o que minha felicidade precisava, então, mesmo sabendo de todo o histórico de aventuras e nem todas felizes, eu pude perceber que tudo isso me fez quem eu sou, para muitos isso pode parecer pouco, pra mim, é motivo de orgulho. Tive uma educação tão boa que me ajudou a me tornar esse homem cheio de falhas, que vive inspirado pelo amor e com um brilho nos olhos que demonstra toda a minha vontade de viver. Percebi que me tornei o tipo de pessoa que eu sempre quis ser e o tipo de pessoa que quero conhecer. Não importam os erros ou acertos, existem valores muito mais importantes.

Conversando com a Dri, minha amiga, ela me falou sobre sua teoria do Quarto Escuro, é basicamente o seguinte, quando você conhecer alguém, se imagine com ela em um quarto escuro, dentro desse quarto, não tem beleza física, não tem conceitos impostos pela sociedade, não existe dinheiro, profissão ou qualquer outra coisa além do caráter dessa pessoa, da forma com que ela te trata e quais são os valores que fazem dessa pessoa quem ela é de verdade. Se você fizer esse teste, e perceber que essa pessoa é quem você gostaria de conhecer, fique com ela, se não for, seja corajoso o suficiente para deixar ela ir.

Nessa viagem maluca com minha “máquina do tempo” eu sai do presente e visitei momentos dolorosos, mas todos eles me serviram de aprendizado, alguns deles me sufocaram muito, isso exigiu que eu desse um tempo em mim, que tirasse uns dias pra respirar, tinha muita informação na cabeça, eu doente, meu irmão, que é meu porto seguro, indo morar fora do Brasil, o nível de carência subiu absurdamente, para não descontar isso nos outros, me fechar em mim e me aproximar da família foi uma decisão importante, ou era isso ou surtar. Tem horas que não temos respostas para o que sentimos, isso não nos dá direito de usar ninguém para tentar compreender, conhecer nossos limites também é uma forma de respeitar o próximo.

Agora, de volta ao presente, colocando as ideias em ordem, sabendo do futuro maravilhoso que me espera e do passado que vivi, estou procurando dar um passo de cada vez, o dia a dia ensina, a saudade ensina e eu tô começando a perceber que eu mudei e como diz a música: “já cansei de fingir, fugir, mentir, sumir…mas muitas dúvidas eu tenho e elas me atrapalham… é só o meu jeito de ser…” então, preciso aprender a conviver com o resultado de minhas decisões, louco para matar saudade de pessoas das quais me afastei, e, principalmente, louco para curtir o melhor de mim, essa minha melhor parte, que me torna o homem que sou.

Esses dias eu fiquei doente, de cama por uma semana, minha cama se transformou em uma espécie de máquina do tempo, isso não me fez querer apagar nada nem ninguém da minha vida, só confirmou que tudo que preciso eu tenho, mesmo que por uns dias eu precise de espaço para reorganizar essa bagunça que se forma na mente vez ou outra, mesmo que a vida tenha seus modos de ensinar, eu me adapto para aprender porque assim, gasto menos tempo do que lutar por um resultando diferente e inexistente. Quando nos esforçamos para ver o melhor do que temos na vida, deixamos de procurar felicidade em lugares errados e amores em corações repletos de teias. Estamos em constante mudança e crescimento, então o melhor que temos a fazer é aproveitar todas as experiências possíveis e saber que daqui a um tempo você se tornou exatamente quem queria ser.

Comentários
William Morais
Publicitário, quase cineasta e metido a escritor de SP. Aquariano com ascendente em Gêmeos. Romântico crônico e apaixonado por me apaixonar. Entre um café e um seriado nasce um Devaneio que vem direto correndo pra cá.

1 Comment

  • Handula Fevereiro 22, 2018 (7:24 pm)

    Delícia de texto. Me fez lembrar que eu estou me tornando quem eu quero ser. Gratidão!!!