Aquele sobre as frustrações

Um dia a gente descobre que as grandes frustrações não vêm das expectativas criadas, pois é normal criarmos expectativas pra tudo nessa vida, a grande frustração, nasce naquele momento em que a realidade passa como um trem por cima de nós, trazendo junto tudo aquilo que já sabíamos, mas não queríamos acreditar, geralmente nesse trem vem escrito frases como: não posso me separar, ou, você entendeu tudo errado, ou, somos apenas amigos, ou apenas vem desenhado nele a sua falta de capacidade emocional, e não, não está ligado à expectativa, isso está diretamente relacionado à realidade.

O que traz aquela dor e o embrulho no estômago é reviver na sua mente em looping aquele momento em que você pensa, “eu poderia ter feito tudo diferente?”. É quando você deseja do fundo do coração ter a capacidade de voltar no tempo e mudar tudo que você fez dali em diante, pois você sabe que muito do que foi falado foi desnecessário, que mesmo as brincadeiras mais inocentes, machucaram, quando você sabe que tudo poderia estar melhor, porém o que resta é isso, o embrulho no estômago e toda a incapacidade de saber o que fazer ou como agir. É como se uma maldição fosse jogada naquele momento e toda aquela intimidade, toda aquela proximidade, tudo que que conectava vocês, desaparece e você fica procurando formas de se reconectar e não acha, sente que tudo que faz está errado ou forçado, você não encontra assunto, ou nenhum pareça servir. Você não quer perguntar como a pessoa está, você não sabe se quer falar sobre como você está, pois no fim das contas sabe que pra ela isso não importa. Você sente saudades da pessoa, sentado na frente dela. Eu jurei pra mim que nunca mais passaria por isso e não consegui comprimir minha promessa.

Se fizermos pequenas adaptações na música Grand Hotel, eis uma série das perguntas que podem ser perfeitamente encaixadas nessas ocasiões:

“Se a gente não tivesse feito tanta coisa,
se não tivesse dito tanta coisa,
se não tivesse inventado tanto…”

“Se a gente não fizesse tudo tão depressa,
Se não dissesse tudo tão depressa,
Se não tivesse exagerado a dose…”

“Um dia o caminhão atropelou…
e transformou em bom dia”

A frustração é quando você sente falta, dos segredos, quando você está cansado de longas conversas, cansado das noites em claro na escuridão, esperando que ela te leve dessa solidão. Cansado de tentar descobrir o que deu errado. Mas mesmo assim você quer arrumar o melhor jeito de manter tudo, do jeito que era ou da melhor maneira possível. Mas a sensação é que de que foi tão panaca que só está tentando colar um vaso quebrado, ele pode até voltar a ser um vaso, mas as marcas ficarão enormes e muito evidentes. Isso também dói muito, a sensação é que mesmo que você queira, nada pode ser consertado.

Um dia a gente descobre que as grandes frustrações não vêm das expectativas criadas, vem da nossa falta de capacidade de avaliação sincera das situações. Um dia aprendemos a olhar pra traz, sem ver só as coisas boas, mas sim as coisas como realmente eram e mais do que isso, deixar o que passou, no passado. Eu não sei o que vou fazer amanhã, não sei o que vai acontecer no futuro, mas hoje minha paz está em um bom dia.

William Morais
Publicitário, quase cineasta e metido a escritor de SP. Aquariano com ascendente em Gêmeos. Romântico crônico e apaixonado por me apaixonar. Entre um café e um seriado nasce um Devaneio que vem direto correndo pra cá.
Comentários

No Comments