Aquele sobre confiança

Pode demorar anos para construir a confiança, mas você só precisa de segundos para destruí-la. Ouvi essa frase muitas vezes na vida, senti na pele pouquíssimas. Estamos acostumados a viver no automático, as ações do dia a dia se diluem em meio à quantidade de informações que recebemos, as relações realmente importantes demoram pra se estabelecer e mesmo dentro delas, não é todo dia que momentos determinantes acontecem, onde você precisa escolher bem suas ações nos próximos segundos ou algo pode mudar e dificilmente será pra melhor.

Obviamente, não se espera muito de quem tem pouco a te oferecer, por isso as decepções são tão profundas e causam um certo estranhamento, nem sempre a relação em si acaba, pior que isso, ela muda e você tenta se apegar ao passado, ao que era antes daquele momento, em qualquer coisa que te lembre sobre como as coisas eram, mas você não consegue, demora um tempo pra perceber que a confiança foi quebrada e a partir daquele momento, palavras viram apenas palavras, por mais que você queira, não consegue ver verdade em nada, não consegue sentir verdade em nada, tudo parece um grande jogo de interesses.

Talvez pela vida passemos por poucos momentos decisivos como esses e dificilmente sairemos ilesos de todos, nossas decisões são sempre baseadas em nosso ego, nossas expectativas e naquele senso de sobrevivência, onde queremos a todo custo nos sentir bem, difícil é lutar contra tudo isso e só ser justo, só abrir o coração e ser verdadeiro. A verdade dói, mas dói menos que a mentira. A verdade fortalece relações, a mentira destrói. Em um filme o garoto perguntou: “porque a verdade é tão importante?” – O Monstro respondeu: “você estava disposto a morrer por ela!”.

Estabelecer relações de confiança, demanda entrega das duas partes, demanda compreensão e paciência, então por mais difícil que seja, se esforce ao máximo para deixar de lado seus próprios interesses, deixe de lado o julgamento e o egoísmo, procure se colocar no lugar do próximo, use da empatia, existem situações onde você está confortável às custas da dor do outro, e mesmo de forma inconsciente, você procura continuar nessa situação para se manter bem, sem olhar para próximo. Não adianta você querer a todo custo, passar por cima de tudo e mandar uma mensagem, marcar um encontro, como se nada tivesse acontecido. Confiança é sim uma via de duas mãos, não se força a conquista e muito menos não se força a reconquista, para isso precisa de tempo e nunca se sabe o quanto.

Pode demorar anos para construir a confiança, mas, se por algum motivo ela foi quebrada e a outra pessoa realmente importa pra você, faça o exercício de se colocar no lugar dela, sem nenhum julgamento, busque toda a verdade em você e use favor da relação de vocês, talvez isso não resolva de imediato, mas isso começa a curar algumas feridas. Confiança é a base de tudo.

William Morais
Publicitário, quase cineasta e metido a escritor de SP. Aquariano com ascendente em Gêmeos. Romântico crônico e apaixonado por me apaixonar. Entre um café e um seriado nasce um Devaneio que vem direto correndo pra cá.
Comentários

No Comments