• Aquele sobre o que esperar

Aquele sobre o que esperar

Às vezes depois de andar muito tempo sozinho, carregando todas as bagagens do passado, sentindo o peso de nossas escolhas nas costas, é normal, algumas ou muitas vezes, se sentir desconectado do mundo e das pessoas, sentir que suas emoções estão no automático, você já não sente mais nada, apenas se deixa levar, isso cria um padrão inconsciente de comportamento e a sensação de que nada vai mudar se agrava, e com a facilidade de se distanciar das pessoas, usando redes sociais e o celular, criamos um mundo solitário e em muitos momentos acreditamos que é o mundo ideal, nossa vida se torna uma espécie de saguão de aeroporto onde conseguimos observar muitas pessoas indo e vindo o tempo inteiro, cada um com sua própria história, preocupados com os seus próprios compromissos, sem tempo de olhar para o outro, sem tempo para se conectar.

Como mudar isso? Talvez, temos que começar colocando um ponto final nessa caminhada, entender que tudo na vida vai ter fim, entender que nossas bagagens são sim parte da nossa história e fazem parte de nós, mas não é um fardo, não precisamos do peso dela nas costas, isso já é um grande passo para sentir o espírito leve, vai ficar mais fácil acordar e ver um sol diferente no céu. Entender que essa estrada não precisa ser solitária que juntos é mais fácil chegar muito mais longe. Buscar lá no fundo sua própria maneira de ser, se aventurar, se jogar onde já caiu, perceber que certo e errado, bom e mau, são programações que foram colocadas em nós, já parou pra pensar que talvez o sentido das coisas esteja em se preocupar menos com acertos e erros e focar nossa energia em apenas viver, acumular o máximo de aventuras, mesmo que algumas tenham um final dolorido mas que te faça, depois de algum tempo, rir delas em uma mesa de bar?

Vamos nos permitir observar o mundo por outros olhares, sentir as pessoas em volta, procure novos horizontes e quem sabe você pode encontrar alguém que te de a ponte para acessá-los, sinta o brilho do sol em você e deixe as coisas ruins irem. Lá do alto de nossa arrogância, nos imaginamos mais do que realmente somos, isso não quer dizer que não podemos ser melhores, mas dificulta perceber que estamos em evolução contínua. Então pra que solidão? É melhor sair em busca de uma simplicidade que traga felicidade. Simples assim.

Procure alguém que ao abrir os olhos e te ver, te presenteie com o melhor sorriso mundo, se deixe conquistar por aquela pessoa que você não faz ideia de onde venha o poder dela de te fazer sorrir. Se entregue ao inacreditável, se sinta confortável ao lado de alguém, mesmo que essa pessoa esteja a muitos quilômetros de distância. O simples encanta e esse é um dos mistérios do mundo, conseguir esperar pelo melhor, mesmo depois de tantos tropeços e tanta dor, depois de tantas lágrimas sentindo o coração e todas as suas crenças irem por água a baixo. Nunca se sabe quando a vida vai te trazer o que jamais te deu.

Às vezes depois de andar muito tempo sozinho, carregando todas as bagagens do passado a imagem que fazemos do mundo é bem diferente do mundo real, uma meditação, uma música ou uma boa conversa podem ajudar a conectar a sua alma com a do universo, sentir que a sua lenda pessoal está lá esperando você dar o primeiro passo para que ela possa se realizar.

Comentários
William Morais
Publicitário, quase cineasta e metido a escritor de SP. Aquariano com ascendente em Gêmeos. Romântico crônico e apaixonado por me apaixonar. Entre um café e um seriado nasce um Devaneio que vem direto correndo pra cá.

No Comments